Mapeando por Maína Mello

1 de maio de 2016

ENCONTROS ASTRAIS, o lançamento

 

apresentação livro

 

Já comprou meu livro ENCONTROS ASTRAIS?

Ele é mais do que um manual de consulta sobre como seu mapa astral se atrai e se envolve com os outros. É a narrativa do amor e do sexo segundo os astros. Não é um livro para especialistas em astrologia, é para leigos, é para todxs que amam o erotismo. ENCONTROS ASTRAIS é literatura, é autoconhecimento, é prazer. O livro já está nas livrarias de todo o país, pode ser adquirido online e tem versão e-book. Neste primeiro mês de lançamento eu tenho recebido feedbacks maravilhosos. Você pode comprar agorinha mesmo e com desconto, é só clicar no anúncio ao lado, receber em casa e desfrutar do conhecimento mais interessante do mundo.

 1 de maio de 2016

O Mapeando de maio está no ar!

star woman

 

Vocês devem estar ouvindo por aí que vários planetas estão retrógrados ao mesmo tempo agora, como se isso fosse algo extraordinário, mas não é. Vários planetas costumam ficar retrógrados juntos pelo menos uma vez por ano. O que há de diferente nesta configuração é que Marte também está andando para trás, o que só acontece a cada dois anos. E a retrogradação de Marte pode ter como efeito colateral o agravamento da agressividade e da ansiedade ou uma falta de vitalidade. E com Mercúrio em seu já famoso deslize, considere falhas nas comunicações. Talvez vocês já estejam sentindo tudo lento ou a agenda bagunçada. Então é tempo de reorganizar a vida. Vocês já devem ter uma noção do que isso significa pois a vida já apontou uma nova direção desde os últimos eclipses. Maio é um mês muito mais afetuoso que abril. Boa sorte para nós!

1 de abril de 2016

O Mapeando de abril está no ar!

red black horse

 

Muitos planetas retrógrados, mas dois movimentos específicos chamam atenção: a retrogradação de Marte e Mercúrio. O que pode significar problemas com a agressividade e a comunicação. Há uma briga por poder, tanto lá fora quanto dentro de nós. O inferno são os outros? O desconforto social social é grande, o mundo está mudando, sim. Mas nós também estamos. E temos que sair da nossa zona de conforto, encontrar um novo sentido. Cada um tem suas insatisfações, mas nisso o individualismo sempre pode acabar se sobrepondo à consciência coletiva. É melhor ficar consciente do que está acontecendo, de dentro pra fora, de fora pra dentro.